A vida é engraçada do jeito que é

Ou: como não temos controle de nada

Serei aquele tipo de pessoa chata que vai falar sobre como o tempo já está passando rápido demais porque não sei se vocês perceberam, mas ele está. Já é 17 de janeiro e faz quase 15 dias que escrevi o primeiro post do ano. Me pergunto se isso é virar adulto: não perceber o tempo caminhando pra frente enquanto estamos sendo engolidos por prazos, vida social, trabalho, estudos, etc.


É engraçado como na vida a gente sempre acha que está sob controle de algumas coisas. Você já está conformado com a rotina, está estudando, sendo grato todos os dias (de verdade), amando sua família, seu namorado, seus bichinhos, lendo seus livros, desbloqueando crises internas e, de repente, bam, seu pai sofre um acidente carro mesmo sempre dirigindo a 40 km/h, você machuca os sentimentos do seu namorado, seu irmão é assaltado andando de bicicleta com o amigo e alguém bate no carro da sua mãe. Tudo isso em um período de duas semanas.

Adivinha só, a gente não tem controle de nada.

Em outras épocas talvez eu estivesse entrando em uma crise de ansiedade daquelas que a gente perde o ar e acha que vai morrer porque está com medo do que está por vir e estaria só me fechando dentro da minha bolha, ficando mais próxima ainda de quem eu amo e evitando toda e qualquer atividade fora de casa. Mas como disse, isso seria em outras épocas. Todos esses acontecimentos colocaram muita coisa sob perspectiva pra mim. Eu podia ter perdido a maioria das pessoas que amo logo em janeiro, mas escolhi ver o melhor lado da situação toda (e olha que não sou aquela pessoa good vibes que vê um lado positivo em tudo).

Cada vez mais acredito que tudo o que a gente sobrevive na vida é uma chance da gente melhorar como ser humano. Eu não sou religiosa, oscilo muito sobre o que acredito ou não, mas sei que acredito em energia, em reencarnação e, mais que tudo, cada vez mais acredito que a vida nos da chances de fazermos tudo dar certo. O que quer que seja fazer a vida dar certo. Esse ano ainda quero ir em algum centro espírita para ver se consigo encaixar as minhas visões de vida em alguma coisa. Acho que é importante a gente ter um grupo em que possamos sentir uma boa energia vibrando. Orar também é meditar, no final das contas, e meditar traz a calma que a gente precisa para a cabeça.

Entre todos esses acontecimentos, fiz uma prova de mestrado para uma universidade top na minha área. Foi a primeira vez que fiz uma prova relativamente tranquila. Não entrei em pânico, não botei aquilo num pedestal como se fosse minha única e última chance porque sei que nunca é. A gente gosta de achar que é, mas acredito que o que tem que acontecer, vai acontecer. Eu sabia que tinha estudado para aquilo, algumas coisas mais e outra menos. Sabia que o resultado seria de acordo. Fiz o que pude dentro de todo o estresse do acidente do meu pai e do estresse emocional com meu namorado. Agora só estou esperando o resultado que sai na próxima segunda-feira (torçam por mim!).

No final das contas, joguei nas mãos do universo sem tentar controlar muito as coisas. No dia seguinte da prova, meu irmão e meu namorado chegaram em Salvador para passearmos e nos curtir. Eu sabia que podia ser um desastre para mim e para Marcos (namorado), mas o efeito foi oposto. A gente viveu o que com certeza vou elencar  na retrospectiva do final do ano como “melhores momentos de 2018”. Não fizemos planos muito engessados, subimos e descemos ladeiras aleatórias do pelourinho, fomos no mercado modelo, fizemos compras no shopping e tomamos banho de mar em Itapuã. Entre essas coisas, foram dados muito sorrisos. Coisas saíram do nosso controle (por exemplo, acabou a energia da casa que a gente estava e passamos calor durante a noite), mas mesmo assim a viagem foi excelente. 5 estrelas ao meu ver.

Acho que na vida a gente precisa aprender a entregar as coisas e a confiar no que o universo pode fazer por nós. Se libertar do controle. Não quero aqui entregar fórmula para a felicidade nem nada, muito menos dizer que todo mundo deve largar o que está sendo difícil. Precisamos continuar batalhando pelos nossos objetivos, dar o nosso melhor e simplesmente tentar fazer as coisas funcionarem para nós da maneira que mais faz sentido pra gente. Tenho feito isso. Não sei se estou fazendo certo, mas sei que o medo não tem sido o que me rege na minha vida e isso depois de muito tempo que isso foi uma verdade para mim.

Advertisements

4 thoughts on “A vida é engraçada do jeito que é

  1. Kari (@karicroft) says:

    Larie, que paz maravilhosa você passou nesse post <3. Meu começo de 2018 foi bem nessa linha; uma sequência de acontecimentos desesperadores, e alguns bem tristes, em pouco mais de 2 semanas. Eu podia ter feito como você – colocado tudo em perspectiva e me sentir grata pelo o que não seguiu a pior direção -, mas não. Não consegui. Teve desespero, crise de ansiedade e muito choro.
    Eu amei a energia que você passou e posso dizer que centros espíritas são tudo de bom. Nunca senti tamanho senso de união e solidariedade em nenhuma outra religião (e olha que tentei várias!). Sinto muita falta de frequentar novamente, ouvir palestras e ir aos encontrinhos que duram o dia todo de reflexão.
    Adorei que você deu 5 estrelas para a viagem, mesmo não seguindo planos e nem tudo tendo sido ~sob controle~. Esse sentimento, essa maturidade, é exatamente o que quero alcançar em 2018.
    Beijos!

    Like

  2. bob (@LeaYasnaya) says:

    A vida é uma ilusão de normalidade, você faz a sua parte, mas né, a bonita vai lá e mostra quem é que manda nessa budega.
    Eu acredito muito no que você disse, isso acontece para mostrar que somos humanos e somos vulneráveis a qualquer situação, seja ela ruim ou boa, mas sempre poderemos tirar algo.
    Muito massa ler esse texto com essa perspectiva otimista, que maravilhosa a oportunidade de te encontrar na blogosfera, não lembro se já passei por aqui, acho que não; eu amo ler posts pessoais, honestos, eu tento sempre passar isso no meu, então tô assim bem felizona!

    Continue com essa energia positiva.
    Acredito muito no espiritual, apesar de não saber qual a minha crença de verdade, tô descobrindo. Vendo o que se encaixa, mas sem a crise de querer entender toda a existência, para mim há mistérios que meu limite racional não vai conseguir desvendar, já aceitei né, que dói menos.

    xero
    http://rascunhosehistorias.blogspot.com.br

    Like

  3. Larissa Santos says:

    É num ritmo lento, mas a gente vai aprendendo a não surtar quando as coisas saem do nosso controle. Muito feliz que a sua ansiedade está controlada e você conseguiu aproveitar as oportunidades. É horrível se sentir incapaz de sair de casa, se isolar e viver fugindo das coisas por medo. Bora lá, Larie, fazer de 2018 um ano de conquistas!!

    Beijos 😘

    ps: boa sorte no resultado da prova. torcendo pelo que for melhor para você!!!

    Like

  4. Bolha de Tinta (@mestremorgan) says:

    Fico feliz que você tenha visto o lado positivo das coisas, em vez de se isolar em casa como antigamente! Eu sei como é ter essa luta diária :c

    Torcendo para que você passe na sua prova, e que bom que sua viagem foi maravilhosa, apesar dos detalhes incômodos huahua

    Com amor,
    ❤ bruna-morgan.blogspot.com ❤

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s